terça-feira, 8 de novembro de 2011

FAXINA NO PENSAMENTO


Íntima do meu pensamento
Gosto dele atento
Sentir que estou a sós com ele me da contentamento
Pode vir o vento
Meu corpo se fecha para todos
Como um contravento
Dentro de mim vejo um momento nevoento
Com pouco de calmaria, digamos que lento
Muita das vezes turbulento
Retiro o que é poeirento
Não sobra nada fraudulento, violento
E o que me acrescenta, acrescento
Quem está sempre por aqui é o argumento
Tiro todo encantamento
Coloco sentimento
Tem um que é teimoso
O afastamento eu tento
Ele não me obedece, é o intenso
Faz minha mente de acampamento
Gosto dele em momentos
Ele é perigoso
Muitas vezes trás o tormento
Ele vai embora, mas é lento
Com o negativo acabei de ter um rompimento
O amor é o alimento do meu pensamento
Faço isso quase toda hora, quase todo tempo

Um comentário:

Leonardo Lacerda disse...

Gosto das coisas que escreve...

EU

Minha foto

A novidade veio dar à praia...

Seguidores